Alameda Grajaú, 98 Alphaville - Barueri | (11) 4191-8251

Acne

A acne tende a atingir pessoas da mesma família

A acne é uma doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. Devido a isso, as lesões começam a surgir na puberdade, época em que estes hormônios começam a ser produzidos pelo organismo, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos.

A acne surge quando os orifícios minúsculos na superfície da pele, chamados de poros, ficam obstruídos. Cada poro é uma abertura para um folículo que contém um pelo e uma glândula sebácea. Essas glândulas sebáceas ajudam a lubrificar a pele e remover células mortas. Quando essas glândulas produzem óleo em excesso, os poros podem ficar bloqueados, fazendo com que todo tipo de sujeira, resíduos, bactérias e células inflamatórias se acumulem.
A obstrução causadora da acne é chamada de comedão, onde o topo do pode ser branco (espinha) ou preto (cravo). Se o comedão romper, o material dentro do comedão causará inchaços e saliências vermelhas. Se a inflamação for profunda, as espinhas podem aumentar a formar cistos firmes e dolorosos. A acne, no entanto, é um problema causado por inchaço e inflamação, não um problema causado por bactérias. Porém, estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.

A acne tende a atingir pessoas da mesma família e pode ser desencadeada por:
• Alterações hormonais relacionadas à menstruação, gravidez, pílulas anticoncepcionais ou estresse;
• Produtos oleosos, cosméticos para os cabelos;
• Determinados medicamentos (como esteroides, testosterona, estrogeno e fenitoína);
• Níveis altos de umidade e suor.
Apesar da crença popular de que chocolate, frutas secas e alimentos gordurosos causem acne, as pesquisas realizadas até hoje não confirmam essa informação. Entretanto, dietas ricas em açúcar refinado podem, sim, estarem relacionadas à acne.

A doença manifesta-se principalmente na face e no tronco, áreas do corpo ricas em glândulas sebáceas. Os sintomas variam de pessoa para pessoa, sendo, na maioria da vezes de pequena e média intensidade.
Em alguns casos, o quadro pode tornar-se muito intenso, como a acne conglobata (lesões císticas grandes, inflamatórias, que se intercomunicam por sob a pele) e o acne queloideano (deixa cicatrizes queloideanas após o desaparecimento da inflamação).

O quadro clínico pode ser dividido em quatro estágios:

Acne Grau I: apenas cravos, sem lesões inflamatórias .
Acne Grau II: cravos e “espinhas” pequenas, como pequenas lesões inflamadas e pontos amarelos de secreção purulenta.
Acne Grau III: cravos, “espinhas” pequenas e lesões maiores, mais profundas, dolorosas, avermelhadas e bem inflamadas (cistos).
Acne Grau IV: cravos, “espinhas” pequenas e grandes lesões císticas, comunicantes ( acne conglobata ), com muita inflamação e aspecto desfigurante.

Tratamento

Sendo doença de duração prolongada e algumas vezes desfigurante, a acne deve ser tratada desde o começo, de modo a evitar as suas sequelas, que podem ser cicatrizes na pele ou distúrbios emocionais, devido à importante alteração na auto-estima de jovens acometidos pela acne. O tratamento da acne deve ser orientado por um médico dermatologista, que é o profissional capacitado para indicar os medicamentos ideais para cada caso
O tratamento pode ser feito com medicações de uso local, visando a desobstrução dos folículos e o controle da proliferação bacteriana e da oleosidade. Podem ser usados também medicamentos via oral, dependendo da intensidade do quadro, geralmente antibióticos para controlar a infecção ou, no caso de pacientes do sexo feminino, terapia hormonal com medicações anti-androgênicas. Não use remédios indicados por pessoas leigas ou que tenham um quadro semelhante ao seu, visto que elas podem não ser apropriados ao seu tipo de pele. A duração do tratamento é longa, com duração de pelo menos seis meses. ​

A limpeza de pele, que pode ser realizada por esteticistas devidamente capacitadas, tem ação importante para o esvaziamento de lesões não inflamatórias (cravos), evitando a sua transformação em espinhas.

Em casos de acne muito grave (como a acne conglobata), ou resistente aos tratamentos convencionais, pode ser utilizada a isotretinoína (Roacutan), medicação que pode curar a acne em cerca de seis a oito meses na grande maioria dos casos.

O preenchimento para acne é indicado no caso de uma cicatriz que desaparece ao esticar a pele. Injeta-se sob a cicatriz uma substância que aumenta o volume local, buscando nivelar a cicatriz no mesmo plano que a pele ao redor. Uma opção de preenchedor é o ácido hialurônico, que tem permanência de mais ou menos um ano. Passado esse tempo, o tratamento pode ser repetido.

Subcisão:

Se a cicatriz não desaparece quando a pele é esticada, não é indicado o preenchimento, já que nesse caso existem fibras de colágeno que repuxam a pele para baixo e precisam ser cortadas. Esse procedimento pode ser realizado por meio da subcisão. Após o processo, forma-se um hematoma que desaparece em mais ou menos duas semanas. Para esse tratamento podem ser necessárias duas ou mais sessões.

Peeling químico, aplicação de ácido seriado nos locais de acne, para melhor cicatrizaçao e renovação celular de acordo com o grau da acne.

Luz Pulsada no comprimento de onda de 490 nm, utilizada após Limpeza de Pele para melhorar a cicatrização e clarear a pele.

Ledterapia, laser diodo de baixa intensidade realizada em até 10 sessões para clarear e estimular a cicatrização da pele acneica.

Na dermabrasão, uma lixa remove epiderme e parte da derme. A profundidade dessa abrasão é controlada diretamente pelo médico, que determina o momento de parar. Com o tempo, nasce uma pele nova, de superfície mais regular e com muito menos cicatrizes. As cicatrizes superficiais somem e as profundas ficam menores.
Na microdermabrasão, conhecida como peeling de cristal, um aparelho joga e aspira pequenas partículas na pele. Isso também remove células, mas o efeito é superficial e, muitas vezes, nem ultrapassa a epiderme. A profundidade da agressão também varia de acordo com o desejo do médico.

Laser Fracionado e Radiofrequencia Fracionada
O laser fracionado produz milhares de pontinhos tratados em meio à pele não atingida. A agressão salteada regenera o colágeno da derme e renova a epiderme, com um tempo de recuperação rápido. O desconforto após a sessão é pequeno.

Tratamento com antibióticos: quando o paciente apresenta caso de acne moderada a severa, pode-se administrar com uso de antibiótico. Os antiandrogênicos estão indicados apenas em casos de paciente de sexo feminino e pacientes que não obtiveram resultados positivos com tratamentos de acne convencionais, e em caso de acne severa utiliza-se a isotretinoína. A tetraciclina é primeiramente utilizada, contudo, em casos de alergia, de intolerância ou de gravidez, a eritromicina é administrada.
Com a utilização de tetraciclina via oral, reduz a concentração de ácidos graxos livres, componentes irritantes do sebo, e aumenta a concentração de ácidos graxos esterificados, com doses que variam por dia, de acordo com a resposta do paciente.
A minociclina é bastante utilizada em tratamentos prolongados de acne severa. Hoje, administra-se também a azitromicina para tratamentos de acne.
A isotretinoína foi introduzida desde 1979. Utiliza-se em tratamentos de acne graves (nódulo-cística e conglobata) e acnes resistentes a outras terapias. Este medicamento age nos quatro fatores patogênicos da acne: excressão de sebo, inflamação, colonização do Propionibacteruim acnes e comedogênese.

Utilização de filtro solar:
É recomendada a utilização de filtro solar sempre, pois a radiação ultravioleta dos tipos A e B podem provocar queimaduras, redução das defesas naturais e imunológicas da pele (imunossupressão), envelhecimento precoce e câncer da pele. O indicado é, além da fotoproteção, o protetor solar suprir as necessidades dos diferentes tipos de pele.
Para peles oleosas e com tendência à acne, é possível contar com protetores solares que auxiliem no controle do brilho, por meio de ações antioleosidade e antiumidade, por exemplo. Além do sol, os medicamentos para controle de acne sensibilizam a pele, deixando-a mais vulnerável ao sol. Desta forma utilize sempre filtro solar.

Medidas para ajudar a controlar a acne:
• Limpe a pele suavemente com um sabonete neutro e hidratante. Retire toda a sujeira ou maquiagem. Lave o rosto uma ou duas vezes ao dia, inclusive após se exercitar. Entretanto, evite esfregar ou lavar a pele repetidamente.
• Lave seus cabelos diariamente, principalmente se forem oleosos. Penteie os cabelos para trás ou prenda-os para que não fiquem no rosto.
O que você não deve fazer quando tiver acne:
• Tente não espremer, apertar ou coçar as espinhas. Embora seja tentador, isso pode causar infecções e cicatrizes na pele;
• Evite usar faixas apertadas, bonés e outros chapéu;
• Evite tocar no rosto com as mãos ou os dedos;
• Evite cremes ou cosméticos oleosos. Retire a maquiagem à noite. Use fórmulas à base de água ou não comedogênicas. Os produtos não comedogênicos já foram testados e provaram não obstruir os poros e causar acne;
Se esses cuidados não diminuírem as imperfeições, experimente os medicamentos contra acne vendidos sem receita médica. Esses produtos podem ser aplicados diretamente na pele;
• Eles contêm peróxido de benzoíla, enxofre, resorcina ou ácido salicílico;
• Eles matam as bactérias secando o óleo ou fazendo a primeira camada da pele descascar;
• Podem causar vermelhidão ou descamação.
Um pouco de exposição ao sol pode amenizar a acne, mas na maioria das vezes apenas a camufla. Entretanto, a exposição excessiva à luz do sol ou aos raios ultravioletas não é recomendada porque aumenta o risco de câncer de pele.​

Vamos marcar uma avaliação?

Chegou a hora de você começar o seu tratamento, nosso objetivo é o seu resultado.
Marque uma avaliação, você irá se surpreender com os resultados.

Clique Aqui